ƒutebolmetria


Modelos de Distribuição de Cotas

Toda a evidência mostra que a divisão de cotas de TV no campeonato brasileiro será cada vez mais determinante ao grau de competitividade das equipes. Um estudo da BDO, empresa de consultoria e auditoria, indica que a receita da televisão é a principal fonte de renda das equipes brasileiras, e a cada ano vem se tornando uma porcentagem mais alta da receita total. O modelo inicial do acordo entre televisão e as equipes que entrará em vigor em 2016 mostra a seguinte divisão de cotas por equipe:



















O primeiro fator marcante é a discrepância entre a cota de televisão mais alta e a mais baixa. As equipes mais bem pagas receberão um valor 4.85X maior do que as equipes com as menores cotas. Vale notar que Flamengo e Corinthians receberão juntos R$ 340 Milhões, quase 25% do valor total destinado às 20 equipes. Também é interessante notar que 12 equipes têm cotas fixas, enquanto as 8 equipes restantes irão receber R$ 35 milhões. 

É necessário criar um modelo de distribuição de cotas para preservar o grau de equilíbrio e competitividade do campeonato, ou então teremos em um futuro breve um campeonato completamente sem surpresas. Mas como seria esse novo modelo? 

Existem duas ligas esportivas cujas fórmulas de distribuição de cotas de televisão merecem reconhecimento: a liga de futebol profissional da Inglaterra (Premier League) e a liga de futebol americano nos Estados Unidos (NFL). 

Modelo Premier League
Uma liga formada por todas as equipes profissionais de futebol negocia um contrato com os canais de televisão, e determina-se uma cota a ser paga para cada divisão. A cota destinada às equipes da primeira divisão é dividida entre as 20 equipes da seguinte maneira:

•    50% do valor total é dividido igualmente entre as equipes.
•    25% do valor total é dividido baseado no desempenho das equipes no ano anterior. Desses 25%, o campeão do ano anterior recebe 9.52%, o segundo colocado recebe 9.05%, e cada posição abaixo subsequente recebe 0.48% a menos do que a anterior. Com isso, a equipe recém promovida com a pior campanha na Série B do ano anterior recebe 0.48% de 25% do valor total.
​•    25% do valor total é dividido baseado no número de partidas transmitidas pela televisão por equipe, o que é baseado no tamanho das torcidas e na audiência de suas partidas.

Agora, vamos comparar o modelo da Premier League ao modelo do Brasileirão. Como seria a divisão de cotas por equipe do Brasileirão 2015, utilizando esse novo modelo? 



















* Valores em Milhões de Reais. Exclui o Botafogo por estar na Série B em 2015.


Como era de se esperar, o modelo Premier League faz com que 14 equipes recebam cotas mais altas e 6 equipes tenham suas cotas reduzidas. O Corinthians, equipe com a cota mais alta, receberia 2.35X, ou R$ 60.48 Milhões a mais do que o Avaí, equipe com cota mais baixa. Vale lembrar que no modelo do Brasileirão, as equipes com cotas mais altas recebem 4.85X, ou R$ 135 Milhões a mais do que as equipes com as cotas mais baixas. O modelo da Premier League é muito mais justo já que leva em consideração o tamanho das torcidas e a audiência na TV, mas também premia as equipes por boas campanhas no ano anterior. 

Modelo NFL
A NFL, liga de futebol americano dos Estados Unidos, faz a distribuição de cotas de TV de maneira totalmente igualitária: cada equipe recebe a mesma porcentagem do valor total. Essa divisão faz parte de um sistema complexo de rateamento de receitas e despesas, aonde os gastos com salários por equipe são fixados, os acordos com patrocinadores são firmados com a liga (e não individualmente com as equipes), etc. A única fonte de renda que varia de equipe por equipe é a renda com bilheteria. Caso o Brasileirão adotasse essa formula de distribuição, as cotas ficariam da seguinte maneira:



















* Valores em Milhões de Reais. Exclui o Botafogo por estar na Série B em 2015.